Home / Notícias / Assembleia geral mantém greve e intensifica ações pela retirada do “pacote de maldades”

Assembleia geral mantém greve e intensifica ações pela retirada do “pacote de maldades”

Mais de 3 mil servidores decidiram manter a greve e intensificar mobilização (Fotos e vídeo: Anna De Carli/CarliCom)

Faça chuva ou faça sol, a quarta-feira (11) dos servidores públicos municipais da Prefeitura de Porto Alegre vai começar com concentração, a partir das 8h da manhã, em frente ao HPS, partindo em caminhada até o Paço Municipal, de onde seguirá ate o Tribunal de Contas do Estado e, dali, para a Câmara de Vereadores, onde será servido o almoço. Esse é o início de um novo calendário que intensifica as ações de mobilização dos municipários, que deliberaram também a manutenção da greve até a retirada dos projetos de lei (PLs) do governo que tramitam no Legislativo. As decisões foram tomadas durante assembleia geral, realizada na tarde desta terça-feira, 10 de outubro, por cerca de 3 mil pessoas que, apesar da forte chuva, lotaram o Centro de Eventos do Parque da Harmonia.

 

REQUERIMENTO PELA RETIRADA DOS PLs PODERÁ SER VOTADO NESTA QUARTA

Na Câmara, a partir das 14h, os municipários participarão da sessão plenária, quando poderá ser votado o requerimento pela retirada do pacote de Marchezan. Até o final desta terça-feira, 13 vereadores ainda não haviam assinado o requerimento. Confira na imagem.

 

Nesta terça-feira (10), apenas 13 de 37 vereadores porto-alegrenses ainda não haviam assinado o requerimento pela retirada do “Pacote de Maldades”

 

ENTRE AS VITÓRIAS: MUNICIPÁRIOS CONQUISTAM LEGALIDADE DA GREVE E PROIBIÇÃO DE CORTE DO PONTO

Se de um lado o governo se mostrou intransigente pela manhã, em reunião entre o vice-prefeito, Gustavo Paim e representantes do Simpa, quando reiterou que não pretende retirar os PLs da Câmara, de outro, a categoria tem alcançado diversas vitórias. Além da crescente mobilização da base em todas as áreas do serviço público, ontem, o desembargador Francesco Conti, do Tribunal de Justiça do RS, garantiu, em decisão liminar, a possibilidade de a greve ser mantida mesmo nos serviços essenciais, determinando que a restrição de greve aplica-se somente aos serviços do DMLU, DMAE e Saúde urgência e emergência, que devem ser mantidos com, no mínimo, 50% da força de trabalho. Além disso, a liminar proíbe o corte de pontos dos servidores.

Clique aqui e confira a íntegra da liminar concedida pelo desembargador Francesco Conti, do Tribunal de Justiça do RS.

PARTICIPE: ACOMPANHE A AGENDA DE MOBILIZAÇÃO

Na sexta-feira, 13, às 17h, haverá reunião do comando de greve;

No sábado, 14, acompanhamento da agenda do “Prefeitura nos Bairros” e

Na segunda-feira, 16, acontece uma mobilização especial pela educação, com ato no Paço Municipal (horário a confirmar), seguida de caminhada até a Smed.

 

ASTEC – DIRETORIA 2017/2018
RESPEITO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *